VG Consultoria Online

Tudo que você precisa saber sobre o ciclo de vida do produto/serviço

Tudo que você precisa saber sobre o ciclo de vida do produto/serviço
5 (100%) 2 votos

Para o empresário ter uma visão do ciclo de vida do seu produto/serviço é essencial para tomadas de decisões. Como por exemplo: quanto devo investir no meu produto/serviço? Devo investir em propaganda? Devo diminuir o preço? Essas e outras decisões devem ser tomadas em função do ciclo de vida do produto/serviço e também a Matriz BCG.

O que é ciclo de vida do produto/serviço?

É a linha de produção de um produto/serviço ou marca. É a sua história completa através das fases de vendas: introdução, crescimento, maturidade e declínio.

Ciclo de vida do produto

Exemplos de ciclo de vida de um produto/serviço: aparelhos de fax, discos de vinil. Verificando-se o seu sucesso e fracasso. Um exemplo de marca que teve muito sucesso e depois declinou foi a Kodak, que não se atualizou perante às demandas mercado.

Como todo negócio busca sempre maneiras de estar sempre aumentando as receitas, maximizando o lucro das vendas dos produtos/serviços. O fluxo de caixa permite à empresa manter-se viável, investir em desenvolvimento de novos produtos. Tudo isso para buscar adquirir participação de mercado adicional e tornar-se líder em sua indústria.

Giro dinheiro

Conhecendo o ciclo de vida do produto/serviço

Conhecendo cada fase do ciclo de vida do seu produto/serviço, consegue-se entender a fase em que seu produto/serviço encontra-se. A partir dessa informação é possível estudar a melhor estratégia para manter-se ativo no mercado.

Uma vez que os produtos têm ciclos de vida cada vez mais curtos, as indústrias mais maduras se revitalizam através de diferenciação e segmentação do mercado.

Vamos detalhar cada fase do produto:

Introdução

A introdução acontece desde o lançamento do produto até o momento em as vendas começam a aumentar de maneira consistente. Durante esse período, a produção é pequena e as vendas são limitadas a pequenos grupos de pessoas. Nesta etapa há pouca ou nenhuma concorrência.

Dica: nessa fase a empresa pode investir nas validações do mercado, fazendo um bom planejamento estratégico. Estudando a melhor maneira de produzir; atrair clientes e a estratégia  ideal para escalar as vendas.

Pontos de destaque:

– vendas limitadas

– pouco lucro

– pouco concorrência

Crescimento

Quando a empresa vai crescendo, é nessa etapa que o produto/serviço ganha forma comercial sólida para produzir em escala. É nessa fase, que competidores começam a aparecer e as vendas começam a aumentar.

Dica: Nessa fase a empresa pode investir para se tornar líder no mercado e escalar as vendas mais rápido do que os concorrentes, porque isto será decisivo na próxima etapa.

Pontos de destaque:

– aumento rápido de vendas

– lucro alto

– aumento de concorrentes

Maturidade

É nessa etapa que a empresa alcança seu tamanho máximo, ou seja, as vendas e quantidade de concorrentes está estável. Geralmente essa é a etapa de tempo duradouro.

Dica: nessa fase o empresário deve investir para se diferenciar e manter o lucro alto, porque os concorrentes começaram uma guerra de preços.

Pontos de destaque:

– estabilidade nas vendas

– diminuição gradativa do lucro

– mercado saturado de concorrentes

Declínio

Nessa etapa é o momento onde as vendas começam a cair. Geralmente essa fase é marcada por uma mudança no mercado ou na sociedade. Mas também tem outros motivos: algum produto concorrente foi lançado, seu produto/serviço não tenha mais utilidade, a moda mudou, dentre outros.

Dica: aqui, você deve garantir a venda de todo seu estoque e com o máximo de lucro.

Necessário também, avaliar se existe a possiblidade de acrescentar alguma vantagem no produto/serviço sobre o concorrente.

Pontos de destaque:

– Queda das vendas

– Diminuição do lucro

– concorrentes saem do mercado e lançam novos produtos

Venda sempre com a ferramenta: matriz BCG

O que é matriz BCG?

É uma análise gráfica que tem o objetivo de suportar análise de portfólio de produtos/serviços baseado no conceito do ciclo de vida do produto. Ela é utilizada para alocar recursos em atividades de gestão de produtos/serviços, planejamento estratégico e análise de portfólio.

Esta matriz é umas das formas mais usuais de representação do posicionamento de produtos ou unidades estratégicas de negócio da empresa em relação a variáveis externas e internas.

A matriz tem duas dimensões: taxa de crescimento do mercado e participação do mercado (que é a participação da empresa em relação à participação de seu maior concorrente).

No eixo Y à taxa de crescimento do mercado. Possui escala linear e ponto intermediário, que delimita as delimita as diversas zonas, é a taxa de crescimento médio do mercado.

No eixo X à participação do relativa do mercado. Possui escala logarítmica e o ponto intermediário tem valor unitário.

As posições de liderança em relação à participação de mercado estão localizadas à esquerda do ponto intermediário. Quanto maior a participação de mercado de um produto ou quanto mais rápido o mercado de um produto cresce, melhor para a empresa.

  • Este método é baseado no ciclo de vida dos produtos/serviços e é utilizado para definir prioridades.

Os produtos devem ser posicionados na matriz e classificados de acordo com cada quadrante.

  • Ponto de interrogação: ou dilema ou oportunidade. Tem a pior característica quanto ao fluxo de caixa, pois exige altos investimentos e apresenta baixo retorno sobre os ativos e tem baixa participação de mercado. Se nada é feito para mudar a posição perante o mercado, pode absorver diversos investimentos e se tornar um abacaxi, mas também pode ser tornar um produto estrela, se o mercado estiver em alto crescimento.
  • Estrela: exige grandes investimentos e é referência no mercado, gerando receitas e desfrutando de taxas de crescimento potencialmente altas. Fica frequentemente em equilíbrio quanto ao fluxo de caixa. No entanto, a participação no mercado deve ser mantida, pois pode-se tornar uma vaca leiteira se não houver perda de mercado.
  • Vaca leiteira: os lucros e a geração de caixa são altos. Como o crescimento do mercado é baixo, não são necessários grandes investimentos. Este quadrante é considerado a base de uma empresa, já que a empresa detém uma quota de mercado considerável.
  • Abacaxi: este quadrante deve ser evitado e minimizado pela empresa. Invista se for possível na recuperação, não desistindo do produto. Com a geração de poucos lucros e baixa participação no mercado, o crescimento perante o mercado é praticamente nulo. A avaliação deve ser realizada de maneira a conseguir um posicionamento mais atrativo e rentável para a empresa, ou até mesmo o abandono, caso não seja mais possível a rentabilidade.

Dica: para a sua empresa ter sempre sucesso é bom tem um portfólio de produtos em diferentes taxas de crescimento e diferentes participações no mercado. Esta matriz pode ajudar nas tomadas de decisões, tendo em vista que essa matriz que consegue-se uma representação visual simples dos produtos e serviços da empresa e das suas avaliações relativas.

Sabe-se que a maioria dos produtos, quando são lançados, estão inseridos no quadrante dos “Dilemas”. Com as alterações de mercado um produto pode evoluir do quadrante dos “Dilemas” para qualquer um dos outros quadrantes. Não há uma evolução pré-determinada do percurso que um produto fará dentro da Matriz BCG.

No entanto, um produto com sucesso em determinado mercado tenderá a passar pelas quatro fases. Se um “Dilema” tiver sucesso transforma-se numa “Estrela”, isto é, o produto torna-se líder num mercado em forte crescimento. Com o passar do tempo a taxa de crescimento do mercado reduz-se e o produto migra para o quadrante das “Vacas Leiteiras” onde ainda é líder de mercado. Quando a empresa perde a liderança de mercado nesse produto este transforma-se num “Abacaxi”.

A importância da ISO 9001 nas decisões estratégicas da empresa

Importante deixar claro que a norma ISO 9001 não trata estrategicamente o ciclo de vida produto e não fornece diretrizes para gerenciá-lo. Porém, a empresa deve conhecer muito bem as etapas do ciclo de vida do seu produto/serviços para manter seu sucesso e lucro perante o mercado.

Com isso, a empresa teve ter sempre consciência proativa, se antecipando às demandas do mercado e pensando em desenvolver novos produtos antes mesmo que os seus produtos entrem em processo de declínio.

Daí a importância do item 7.3 Projeto e Desenvolvimento da ISO 9001.  No item 7.3.1 – Planejamento do projeto e desenvolvimento, é requerido que a organização defina e documente o planejamento do projeto e do desenvolvimento. Nesse planejamento, devem ser definidos os resultados que se pretende do projeto e desenvolvimento.

No item 7.3.5 – Verificação de projeto e desenvolvimento, é solicitado que a equipe de desenvolvimento e projeto que verifique se os objetivos foram atingidos.

Depois da verificação, é gerado um relatório de aprovação. Que deve ser guardado como um registro do projeto e desenvolvimento, conforme descrito no item 4.2.4 – Controle de registros da qualidade. Veja na íntegra o que a norma ISO 9001 fala:

A verificação deve ser executada conforme disposições planejadas (ver 7.3.1) para assegurar que as saídas do projeto e desenvolvimento estejam atendendo aos requisitos de entrada do projetos e desenvolvimento. Devem ser mantidos registros dos resultados da verificação e de quaisquer ações necessárias (ver item 4.2.4).

Ressalta-se que, pode acontecer da verificação detectar uma diferença entre as entradas e as saídas, nesse caso, uma ação deve ser tomada. Quando isso acontece, além do relatório de verificação, o plano de ação para corrigir o produto ou revisar as entradas – especificações, devem ser igualmente mantidos como registro do projeto e desenvolvimento.

E a ISO 14001? O que ela pode ajudar nas estratégias dos produtos/serviços da empresa?

Como foi falado nesse artigo, o ciclo de vida do produto/serviço depende de um bom planejamento estratégico, com o objetivo de prolongar ao máximo a fase de maturidade de um produto/serviço.

No entanto, a ISO 14001 trata o ciclo de vida de um produto/serviço sob o ponto de vista ambiental. Analisando desde a extração até a destinação final dos resíduos, que é conhecida como a Avaliação do ciclo de vida do produto.

A metodologia utilizada na Gestão Ambiental é a Avaliação de Ciclo de Vida (ACV), avaliando os impactos ambientais causados durante todo o ciclo de vida do produto, considerando todas as fases, da retirada da matéria-prima até o retorno do pós-consumo.

O grande foco da ACV é de encontrar as melhores práticas socioambientais para a produção e para o consumo consciente, incluindo o uso eficiente das matérias-primas, e também o enquadramento na hierarquia de gerenciamento de resíduos sólidos.

As definições e etapas da ACV são encontradas na NBR 14040 – Avaliação do ciclo de vida – princípios e estrutura.

Resíduos sólidos e o ciclo de vida do produto

Conforme a Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei 12305/2010, art. 3 Inciso IV – ciclo de vida do produto: série de etapas que envolvem o desenvolvimento do produto, a obtenção de matérias-primas e insumos, o processo produtivo, o consumo e a disposição final.

Dentro desse conceito, é importante diferenciar a destinação final da disposição final de resíduos.

Veja a definição desses conceitos segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos, disponível no Título I do capítulo II da Lei 12.305/10:

Destinação final ambientalmente adequada: destinação de resíduos que inclui a reutilização, a reciclagem, a compostagem, a recuperação e o aproveitamento energético ou outras destinações admitidas pelos órgãos competentes do Sisnama, do SNVS e do Suasa, entre elas a disposição final, observando normas operacionais específicas de modo a evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança e a minimizar os impactos ambientais adversos;

Disposição final ambientalmente adequada: distribuição ordenada de rejeitos em aterros, observando normas operacionais específicas de modo a evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança e a minimizar os impactos ambientais adversos.

Ter consciência do ciclo de vida do produto/serviço é tão importante quanto o tratamento dos resíduos em si. Isso porque, na medida em que as técnicas de logística reversa são implantadas, pode-se reduzir significativamente a quantidade de resíduos gerados.

A Verde Ghaia possui uma equipe qualificada capaz de oferecer soluções personalizadas nesse serviço de gerenciamento de resíduos sólidos e gerenciamento ambiental, com a empresa do Grupo, VG Resíduos, realizando uma análise completa de todos os processos do seu empreendimento.

Os serviços da Verde Ghaia apresentam também práticas para redução de gastos e custos desnecessários. Nossa equipe se preocupa não só com o ciclo de vida do seu produto, mas também com os melhores resultados para o seu negócio!

Você tem dúvidas de como manter sua empresa/produto/serviço no mercado? Entre em contato com nossa equipe pelo telefone (31) 2127-9137 que iremos auxiliar você em todos os aspectos da gestão empresarial.

Compartilhe

        

0 Comentários

Deixe o seu comentário!