Verde Ghaia Consultoria Online

Você sabe mensurar seus Riscos e Oportunidades?

Você sabe mensurar seus Riscos e Oportunidades?
5 (100%) 1 voto

Em uma empresa, podemos encontrar muitas variáveis que podem ameaçar o planejamento estabelecido. No entanto, esses perigos podem ser evitados ao se levantar os riscos e oportunidades em todos os processos de um negócio. Por isso, fazer uso dessa ferramenta e incluí-la nas rotinas empresariais deve ser prioridade em qualquer planejamento estratégico bem realizado. Atentar para isso pode ser fundamental para o crescimento.

Para tratar de maneira mais detida esse assunto, preparamos um conteúdo a fim de explicar o conceito e a importância de uma boa gestão de riscos. Acompanhe!

O conceito de Riscos e Oportunidades: Identificando Ameaças

Antes de adentramos no tópico concernente à importância da gestão de riscos para um negócio, é necessário explicar em maiores detalhes o que são essas ameaças. Riscos são, em linhas gerais, variáveis presentes em todas as atividades de uma empresa, as quais podem ocasionar eventos prejudiciais aos resultados e aos processos de um modo geral.

Isso ocorre, por exemplo, quando uma equipe de vendas não tem o conhecimento adequado acerca de um novo produto. Tal fato, certamente, terá impacto negativo nos resultados. Diante desse tipo de evento, o ideal é que se tenha um plano de ações a fim de tentar reduzir consequências e continuar as operações. Existem diversos tipos de riscos e todos podem ser mensurados. Abaixo, listamos alguns deles.

Riscos de mercado: Esse tipo diz respeito a flutuações na oferta e na demanda de produtos e serviços, o que pode ter impactos nos preços estabelecidos e na produção.

Risco regulatório: Este faz referência a possíveis mudanças nas legislações que regulam a distribuição ou a produção. Isso pode alterar de maneira significativa as operações. As mudanças nas legislações tributárias também devem ser observadas.

Riscos econômicos: As variáveis econômicas são também muito imprevisíveis. Assim, é importante que se tenha em vista alterações nas taxas de juros, no crescimento econômico e na inflação.

Entretanto, deve-se salientar que as incertezas identificadas por meio dessa ferramenta podem ser não somente riscos, mas, também, oportunidades. Isso se deve ao fato de a resolução de problemas proporcionar novas visões e possibilidades para um negócio.

A importância da Mensuração de Ameaças para o Crescimento

As empresas são microcosmos dinâmicos inseridos dentro de contextos maiores, mais complexos e ainda mais incertos. Dessa forma, podemos dizer que as organizações estão sujeitas a influências de fatores internos e externos. E, a depender da abrangência da mudança que esses fatores podem ocasionar, o impacto pode ser irreversível. Isso porque esses eventos podem afetar a geração de valor para o público, prejudicando a imagem do negócio e pondo a credibilidade do mesmo em xeque.

Esse é um dos principais motivos pelos quais empresas em todo o mundo se veem forçadas a encerrar suas atividades. Por outro lado, conforme já mencionamos, a indecisão de uma determinada situação pode também trazer consigo ocasiões favoráveis. Nesse sentido, o gerenciamento adequado dos riscos proporciona aos gestores meios de tratamento dos problemas ao mesmo tempo em que permite pensar modos de maximização das oportunidades.

Assim, se uma empresa se empenha mais em controlar os fatores que podem prejudicá-la, é possível que suas operações ganhem em estabilidade. Tal ganho inspira em fornecedores e demais partes interessadas uma maior confiança. Para a empresa, essa ferramenta proporciona uma maior garantia da continuação de suas atividades, mesmo diante de grandes adversidades. Ainda que os lucros possam ficar prejudicados, a empresa pode prosseguir no atendimento às partes interessadas, mesmo que de forma precária.

Ademais, pode trazer melhorias aos processos como forma de prevenção de novos riscos, o que termina por contribuir para a geração de valor.

Como implantar uma Gestão a fim de evitar eventos imprevistos 

Portanto, temos que uma gestão adequada dos possíveis eventos que possam trazer prejuízos deve ser realizada. No entanto, como pode ser implementada essa ferramenta de controle? Para quais tipos de empresas ela é destinada? Respondendo à segunda pergunta, chamamos atenção para o fato de que esse controle pode e deve ser empregado em empresas de qualquer segmento. Ademais, negócios de qualquer porte podem ser beneficiados com a utilização dessa ferramenta.

Abaixo, listamos alguns passos necessários para que esse tipo de gerenciamento possa ser aplicado da maneira mais adequada.

1 – Em primeiro lugar, a classificação dos riscos deve estar de acordo com as metas e os objetivos estabelecidos pela empresa. Esses fatores podem ser classificados como internos e externos e podem variar de empresa para empresa.

2 – Após o estabelecimento da classificação, deve-se tentar determinar, na medida do possível, a possibilidade concreta do evento ocorrer e o impacto que ele pode causar.

3 – O terceiro passo do gerenciamento é a mensuração do eventos definidos na primeira etapa. Isso pode ser feito atribuindo a eles graus de ocorrência e/ou de dano.

Assim, a atenção pode ser concentrada naqueles setores que podem causar maiores prejuízos à empresa.

4 – Em seguida, deve-se pensar ações para cada uma das possíveis ocorrências. Estabelecendo preventivamente tais ações, a empresa ganhará tempo hábil para tratar os problemas com maior eficácia.

5 – Por fim, é importante ressaltar que o gerenciamento dos riscos e oportunidades não se encerra com a resolução dos problemas encontrados ou com a definição das ações. Trata-se de um procedimento ininterrupto.

A importância do Mapeamento na Avaliação dos Eventos 

Tal importância se reflete, em primeiro lugar, na maior probabilidade de, por meio dele, se assegurar os objetivos da organização. Assim, tal medida é uma prerrogativa para todos os administradores que estabelecem metas, em especial para aqueles mais ambiciosos. Isso por que prescindir desse instrumento pode impedir a realização dessas mesmas metas e comprometer de maneira irreversível o planejamento.

Há também a vantagem de tornar mais visíveis as oportunidades. Dessa forma, os esforços podem se concentrar em torná-las viáveis. Um exemplo de como isso pode se dar é a iniciativa de tornar mais “enxutas” as operações, o que pode se tornar uma nova fonte de receita. Sem contar, claro, com a diminuição dos possíveis efeitos negativos advindos de fatores internos e externos.

De fato, conforme já dito, as organizações realizam suas atividades em ambientes extremamente dinâmicos. As possíveis variáveis que podem afetar um negócio podem ser relativas a questões trabalhistas, ao contexto político-econômico, à concorrência ou ao meio-ambiente. Levar em conta todas as possíveis variáveis importantes para o desenvolvimento de um negócio e mapeá-las adequadamente torna-as previsíveis.

Ademais, a análise de cada um dos setores de uma empresa proporcionada pelo mapeamento proporciona uma maior compreensão do funcionamento da empresa. É comum que, em organizações de maior porte, não haja uma comunicação eficiente entre seus diversos departamentos. Tal fragmentação é prejudicial aos processos. Por meio de um mapeamento bem realizado, pode-se identificar esses defeitos e, com isso, aprimorar o compliance. Assim, pode-se otimizar de maneira significativa os recursos e processos.

Vantagens Estratégicas

Diante de todos esses benefícios, não há como prescindir de uma ferramenta tão poderosa. De fato, sua utilização leva à otimização dos processos, o que contribui para a geração de valor. Um gerenciamento adequado de riscos e oportunidades pode tornar os processos mais confiáveis e as ações para corrigir eventuais problemas mais eficazes.

E você, pretende implantá-lo na sua empresa? Conte conosco!

Compartilhe nas redes sociais:

        

0 Comentários

Deixe o seu comentário!