Trabalho remoto deve fazer parte das rotinas das organizações
Subir

Verde Ghaia Consultoria Online

Trabalho remoto: porque operar de forma descentralizada?

Implementar o trabalho remoto nas organizações passou a ser uma obrigação nesse momento da pandemia, como um reflexo de sobrevivência à pandemia. Mas, será que todas as organizações, bem como seus colaboradores estão preparados? Há realmente uma cultura de Home office em nossa raíz? 

Para que seja possível manter as operações acontecendo harmonicamente, em meio a “obrigatoriedade” do trabalho remoto, vamos discutir sobre essa nova forma de operar que tem tudo para vir e ficar!

Um novo modelo de trabalho

O celular é um computador de bolso que permite uma infinidade de possibilidades profissionais. E é, basicamente, por causa dele, que muitos de nós podemos trabalhar de qualquer lugar. Esse novo modelo possibilitou também que surgissem empresas cujo formato de gestão temm sido bem diferente daqueles modelos clássicos que conhecemos. Consequentemente, abrindo mercado para novos modelos de negócio, fato que alterou totalmente as regras do mercado nesse momento de isolamento social.

E tal como, desses novos modelos de negócios e empresas, também surgiu a necessidade de um remodelamento na forma de se fazer gestão. Aquele líder (o antigo “chefe”), acostumado ao modelo de escritório, supervisionando seus funcionários a todo momento, praticamente desapareceu.

Apesar desse momento crucial para o mundo, a pandemia trouxe consigo uma nova forma de enxergar os modelos tradicionais, remodelando-os. Um exemplo, é o mentor das equipes cuja responsabilidade vai além da visão de um “chefe”. É uma pessoa que lidera toda uma equipe com foco em direcioná-los na jornada de descobertas de suas capacidades e habilidades, incentivando-os a readequarem sua postura e sua forma de pensar frente às dificuldades, aos nãos, refaça, melhore o projeto, de modo que a equipe se sinta incentivada a auto liderança. E assim, tornou-se um momento propício para a gestão descentralizada. Isso significa, ser líder de você mesmo. 

Apenas, para fazer um adendo ao assunto, sugerimos a Leitura do Livro de Deivison Pedroza, “Lidere-se sem Mimimi”, no qual ele expõe sobre a importância de cada um assumir suas responsabilidades para que o líder apareça em você!

Gestão descentralizada

Buscando implementar um modelo de gestão descentralizada, certamente sua empresa sairá na frente daquela empresa cujos departamentos são  estruturados em um sistema majoritário para a delegação de tomada de decisões. Portanto, uma gestão com autoliderança, propicias-se uma rede de produtividade — o velho e antiquado modelo piramidal perde espaço para a decisão coletiva.

Portanto, numa situação de trabalho remoto, é essencial que haja capacidade de descentralizar a gestão, caso contrário, todos os processos serão fonte de grande estresse até que algo seja realmente feito e implementado. Vamos citar algumas formas de fazer esse modelo dar certo na sua equipe. O primeiro passo já foi dado, descentralizar a gestão.

Identificar os perfis da sua equipe

Ao implementar o trabalho remoto, você, na posição de gestor, precisará identificar o perfil e as habilidades de seus colaboradores para que você possa adequar melhor os fluxos de trabalho, fazendo com que cada um da equipe trabalhe de forma harmônica e fluída.

Por exemplo, há aquele que trabalha muito bem sem precisar ser demandado; há outros que necessita ser demandado; e há aquele que sabe dividir informações; como aquele que é muito bom em sua função, mas que tem dificuldade de comunicação com os colegas. A identificação clara de cada perfil ajudará na divisão dos fluxos das tarefas e na escolha dos coordenadores de cada projeto.

Portanto, se precisar de ajuda na identificação das habilidades e de perfil, comunique-se com o RH  da usa organização para ajudá-lo nesse momento. Você perceberá como a produtividade será muito maior quando as habilidades se complementam numa equipe. 

4° Organização é essencial

Trabalho remoto e gestão descentralizada não funcionam sem que haja uma organização real. Simples assim. Todos precisam estar cientes de suas funções, responsabilidades e, principalmente, dos prazos para conclusão de cada projeto.

Gestão descentralizada e Organização são fundamentais para o trabalho remoto, não havendo espaço para “jogo do empurra” (quando uma pessoa procrastina uma tarefa e bota a culpa no outro, por não ter finalizado a tempo), por exemplo. Situações assim, são comuns em gestão centralizada. Portanto, para descentralizar é preciso organizar os fluxos das tarefas, de modo que todos estejam cientes das suas responsabilidades.

5° Capacidade de delegar 

Você é o gestor principal de seu departamento? Delegue tarefas sem pestanejar. O modelo centralizador definitivamente não funciona no trabalho remoto, pois resulta num extremo desgaste do gestor principal, que não vai saber o momento de descansar.

Quando trabalhamos em home office, por exemplo, é muito fácil misturar aspectos profissionais e pessoais, e assim estender as horas trabalhadas além da conta. Não caia nessa armadilha. Organize-se e delegue as tarefas conforme as habilidades e perfis daqueles que compõem a sua equipe.

6° Ferramentas de gestão

Quando sua equipe está trabalhando à distância e de forma descentralizada, é essencial que exista uma excelente ferramenta de gestão integrada para organizar todas as tarefas e pendências.

A descentralização é a capacidade de delegar e dividir o trabalho, e não pode ser confundida com dispersão. Se não houver uma boa ferramenta de gestão do trabalho, muitas informações poderão se perder e/ou ficar em aberto. E lembrando, que o ideal é que o sistema escolhido possa ser acessado online por diversas pessoas; sistemas estáticos como o Excel são arriscados, pois podem se corromper facilmente.

 

7° Os 3Cs da colaboração remota

Quando você trabalha remotamente e descentraliza a coordenação, tem de estar aberto aos importantíssimos 3Cs: Comunicação; Colaboração; Confiança.

A comunicação precisa ser frequente e ao mesmo tempo clara, com o mínimo de ruído possível.

Evite e-mails longos e reuniões desnecessárias (que certamente serão feitas por videoconferência). Seja claro ao pedir algo aos colegas. Se não entendeu o que foi dito, não tenha medo de perguntar quantas vezes for preciso. E não seja impaciente, caso precisar explicar a mesma coisa pela décima vez. Certamente, será menos problemático tirar mil dúvidas no desenvolvimento de um projeto, do que depois se render ao retrabalho por falta de entendimento do que foi falado.

A colaboração é essencial. Esqueça o pensamento “Não sou pago para isso” ou “Só vou fazer, se meu chefe mandar”. Isso não existe no modelo de trabalho descentralizado. Já falamos sobre a autoliderança. Ter autoliderança, está também relacionado a ajudar seus colegas sempre que possível, e peça ajuda, se caso precisar.

A confiança é indispensável, principalmente entre gestor e equipe. Se você tem um líder direto, faça por merecer, não abuse do fato de o trabalho remoto não ter supervisão direta.

Trabalho de casa não é folga. E se você for o líder, confie em sua equipe e na capacidade de autogestão de cada um deles. Caso perceba, que está tendo baixo rendimento de alguém da sua equipe em home office, identifique as causas com uma conversa franca e sem tons acusatórios. Às vezes, ele só precisa solucionar um simples problema doméstico que tem atrapalhado a dinâmica do trabalho.

Bem, vamos falar das vantagens para o seu negócio, quando implementado um modelo descentralizado na cultura organizacional.

Vantagens do modelo de trabalho descentralizado

  • Mais qualidade na tomada de decisão
  • Os gestores (principalmente os CEOs) ficam livres para se ocupar com assuntos mais estratégicos em vez de focar no operacional
  • Mais transparência e autonomia nas relações de trabalho
  • Em geral, a equipe se torna mais engajada, pois é invadida pela sensação de pertencimento, sente-se mais digna de confiança
  • Surgimento de lideranças improváveis, o que ajuda no desenvolvimento de talentos e também de futuros gestores
  • Desenvolvimento do espírito de cooperação
  • Melhora no desempenho, pois no trabalho remoto as horas trabalhadas deixam de ser tão importantes e a produtividade e qualidade das entregas passa a ser o indicador principal das equipes.
  • Possibilidade de desenvolvimento de novos negócios para a empresa, já que uma equipe com mais autonomia fica mais à vontade para sugerir processos e produtos

Trabalho remoto exige autoliderança

É um fato, que as decisões centralizadas nas mãos de poucos prejudica a fluidez necessária ao trabalho remoto. Por isso, é essencial que esse novo modelo de trabalho não tenha em “sua veia” resquício de quem manda e quem obedece. Lembre-se que, se Líder é incentivar e trabalhar com as habilidades de cada um da sua equipe, estimulando ações que guiem o time rumo a um objetivo comum.

Esse modelo de liderança horizontal não diz respeito a obedecer a comandos, e sim desenvolver a equipe para que esta tome decisões de forma ágil e eficiente. E sabendo gerir tudo isso, da forma correta, sua empresa só tem a ganhar.

Dúvidas ou sugestões, mande seu recado nos comentários abaixo!

Compartilhe nas redes sociais:

        

0 Comentários

Deixe o seu comentário!