Verde Ghaia Consultoria Online

Por que a minha empresa deve fazer consultoria em Gestão de Risco?

Por que a minha empresa deve fazer consultoria em Gestão de Risco?
Avalie esse post

Independente da área em que se atue, seja você dono de uma empresa ou profissional autônomo, algo com que você terá que lidar mais cedo ou mais tarde é a gestão do risco. Isso porque é indissociável de qualquer prestação de serviços a casualidade, as surpresas. Afinal, acidentes acontecem e você deve estar preparado para contorná-los, ou pelo menos, lidar com eles.

Evidentemente que, dependendo de sua formação, você pode fazer esse procedimento sozinho, mas saiba que nos dias de hoje existem várias empresas que oferecem consultorias desse tipo. Para você tomar uma decisão mais consciente, nesse texto iremos abordar as principais questões que constituem esse tema.

Confira a seguir sobre Avaliacao de Riscos!

O que é gestão de risco?

Antes de tudo, aqui devemos estabelecer primeiramente o que se entende por gestão de risco, não é mesmo?

Assim, o risco é um problema que pode ser enfrentado por qualquer tipo de empresa, seja ela grande ou pequena, baseado na probabilidade de ocorrer um evento ou outro com consequências negativas. Em geral, existe caminhos variados para evitá-lo ou preveni-lo e o principal deles é, justamente, a gestão do risco, que visa administrar múltiplos fatores na tentativa de anular ou minimizar os impactos causados pelo mesmo. Desse modo, o tratamento (ou gerenciamento) do risco nada mais é do que um levantamento aprofundado das ameaças ou perigos decorrentes de uma atividade com o objetivo de criar soluções para eles.

O que acontece quando não se faz a gestão do risco?

Nesse sentido, deve-se alertar que esse tipo de cuidado está previsto, inclusive, em lei, sendo importantíssimo que a sua empresa se atente a ele.

De acordo com o código de defesa do consumidor, é vedado que prestadores de serviços ofereçam trabalhos e/ou produtos em desacordo com a ABNT, que é órgão brasileiro responsável por estabelecer as normas técnicas. Assim, cria-se a ABNT NBR ISO 31000, que dispõe das principais diretrizes para lidar com o gerenciamento de risco, devendo a mesma ser seguida para evitar possíveis problemas jurídicos.

Ainda assim, ela possibilita a sua personalização de acordo com as características de cada organização, mas reitera-se que é crucial tê-la como base para desenvolver atividades mais consistentes. Cabe, finalmente, destacar que o órgão não para por aí e também designa outras normas para ações em áreas de atuação diversas, que vão do esporte ao turismo. Dito isso, podemos citar a ABNT NBR ISO 45001, elaborada em 2018, que traz para as empresas um novo padrão sobre como lidar com a segurança de sua linha de frente de trabalho, por exemplo, e oferece uma certificação.

Vale a pena pesquisar e se inteirar de todas as possibilidades!

Mas como se dá o gerenciamento do risco na prática?

Pois bem, talvez isso tudo ainda esteja muito abstrato para você e é normal que isso ocorra num primeiro contato com o tema. Para que você consiga visualizar melhor, vamos tomar como exemplo uma agência de turismo, e, vamos supor então que ela desenvolva atividades ao ar livre. Podemos falar aqui de trilhas, passeios de barco, rapel ou qualquer outra atividade, isso vale para tudo!

Para manter a segurança de seus passageiros e fazer o tratamento de risco correto, a agência deverá se atentar a questões como o ambiente em que a ação vai acontecer, o tempo e clima no dia, o perfil e a faixa etária dos turistas, etc. Feito essa identificação, ela deverá elaborar soluções como roteiros específicos, equipamentos de segurança, vestimentas adequadas, entre outras coisas para lidar com os acasos que podem vir a acontecer. Isso é gerenciamento de risco!

Em outros termos, trata-se de um planejamento para lidar com possíveis adversidades que surjam durante prestação de um serviço a fim de evitar que os clientes e os funcionários sofram algum dano e a empresa seja a responsável.

Leia mais como as organizações abordam suas incertezas e diminuem seus riscos.

Para que serve a consultoria nessa área?

A consultoria realizada na área de gestão de risco serve, portanto, para te direcionar e apontar soluções para todas essas questões mencionadas acima de forma mais prática e eficaz, aumentando as chances de sucesso. De modo geral, as consultorias têm maior domínio das leis que estabelecem esses termos e processos, além de conhecerem a ISO 31.000, a ISO 45001 e diversas outras que dizem respeito aos cuidados específicos de cada área de atuação.

Pegando ainda o turismo como exemplo, existem normas específicas sobre como o trabalho deverá ser realizado e é mais comum do que se imagina encontrar profissionais que não tenham esse conhecimento. A tendência, portanto, é que a consultoria em gestão de risco aponte os indícios negativos com maior facilidade e melhorem o ambiente de trabalho (que nesse caso é a rua), tornando-o mais seguro para todos.

Assim, em contrapartida, o tempo e energia que o gestor gastaria para desenvolver esse tipo de tarefa, pode ser redirecionado para outras atividades, otimizando também o processo administrativo. Porém, você já se perguntou por que é importante investir em Gestão de Riscos? Se ainda não parou para pensar na relevância desse tipo de gestão, conheça um pouco alguns possíveis benefícios.

Benefícios da Consultoria em gestão de riscos

Elaborar projetos de gestão do risco mais consistentes

Por ser um tipo de assistência especializada, a consultoria de gestão de risco tende a identificar com mais facilidade os riscos que envolvem o trabalho prestado, além de promover soluções mais assertivas para eles. Logo, ela elabora projetos de gestão de risco muito mais consistentes, que envolvem tanto estratégias para evitar acidentes quanto a capacitação da equipe. Investir numa consultoria pode ser considerado, assim, o melhor meio para preservar o bem-estar de seus clientes e funcionários, mantendo a sua imagem positiva no mercado.

Diminuir os gastos relacionados ao tema

Ao mesmo tempo, essa otimização leva também a diminuição de gastos relacionados ao tema, trazendo um bom retorno financeiro para empresa. Isso se deve, principalmente, a dois motivos: o primeiro deles, então, faz referências aos materiais utilizados. Sem um gerenciamento adequado, é comum a compra de equipamentos de proteção inadequados em detrimento da ausência daqueles que são realmente necessários. Essa confusão pode gerar no orçamento no final do mês um prejuízo, seja pelo gasto desnecessário, seja pela compra inusitada de um item que se precisava.

A consultoria irá te direcionar e permitir que você gaste com segurança somente o quanto for realmente necessário. Em segundo lugar, temos ainda o fato de que você passa então a lidar com a prevenção e não com a correção de um problema, que tende a ser sempre muito mais prejudicial!

Reduzir as chances de risco

Somando todos esses fatores, desde o domínio maior das informações até a diminuição de gastos da empresa, o que se tem é a redução das chances de acidente, que é o objetivo central aqui! Tenha isso em mente e lembre-se que delegar para alguém devidamente capacitado pode ser a solução dos seus problemas.

Consideração Final

Por fim, como o risco sempre vai haver, afinal, acidentes acontecem, incentivamos que, dependendo da sua área de atuação, a sua organização elabore um documento conhecido como termo de assunção de risco e responsabilidade. Em linhas gerais, este é um contrato para se enviar, então, para o seu cliente a fim de que ele indique que está ciente a respeito dos riscos de uma dada atividade. Assim, a consultoria em gestão de risco pode ser um investimento muito útil para o seu negócio, evitando maiores dores de cabeça no futuro. Pesquise bastante e descubra aquele que melhor atende à suas expectativas e realidade.

Se você gostou desse conteúdo e deseja saber mais a respeito desse assunto, não deixe de acompanhar também as nossas outras publicações!

Informe-se mais:

Abordagem da gestão de riscos e oportunidades na ISO 9001:2015

Como identificar “riscos” dentro de um Sistema de Gestão Ambiental

Descubra como realizar a análise de risco do sistema de gestão

 

Compartilhe nas redes sociais:

        

0 Comentários

Deixe o seu comentário!