Verde Ghaia Consultoria Online

Como elaborar o mapa de risco de um supermercado

Como elaborar o mapa de risco de um supermercado
5 (100%) 2 votos

Geralmente passa despercebido, mas em todos os ambientes em que nos encontramos, estamos sujeitos a algum tipo de risco. Os riscos podem ser químicos, biológicos ergonômicos e de diversos outros tipos.

Uma das ferramentas que nos ajudarão a entender os riscos aos quais estamos sujeitos em um ambiente de trabalho é o mapa de riscos. Este documento irá esclarecer ao leitor, quais os tipos de risco e qual o grau de possibilidade da ocorrência de acidentes ou incidentes diretamente ligados aos riscos mapeados.

Este artigo se prestará a explicar quais são as atribuições de um mapa de risco, bem como suas funcionalidades, regulações e produção.

Iremos utilizar como exemplo, a produção de um mapa de risco de um supermercado.

O que é um mapa de risco?

O mapa de risco é um documento que identifica e quantifica os riscos presentes em cada parte do ambiente de trabalho da empresa. O mapa consiste em uma ilustração da planta operacional da instalação física da empresa ou uma ilustração da planta da área de trabalho móvel, caso a organização possua trabalhadores que atuam fora de sua sede.

O mapa de risco identificará os riscos presentes na empresa e os classificará em cinco categorias diferentes, sendo elas:

  • Risco físico,
  • Risco químico,
  • Risco biológico,
  • Risco ergonômico
  • Risco de acidentes.

Cada um dos riscos envolvidos serão identificados não através de seu nome, mas através de uma cor, que será mostrada na legenda do mapa. As cores para cada tipo de risco são:

– Risco físico – verde

– Risco Químico – Vermelho

– Risco Biológico – Marrom

– Risco Ergonômico – Amarelo

– Risco de acidentes – Azul

Como exemplos de riscos físicos podemos citar: choques elétricos, movimentação de máquinas, barulho e etc. Já como riscos químicos podemos citar: contato com produtos corrosivos, gases, ácidos e materiais perigosos em geral.

Como exemplos de riscos biológicos podemos citar: Contato com animais, plantas perigosas, bactérias, vírus e etc. Como exemplo de riscos ergonômicos podemos citar: risco de lesões na coluna ou visão em decorrência da acomodação do trabalhador. Por último, como risco de acidentes, podemos citar o risco de quedas e ferimentos em razão do manuseio de objetos.

O mapa de risco é obrigatório?

No Brasil, o mapa de risco é regulamentado pela NR 1.7. Ela determina que o mapa de risco seja elaborado e implementado por todas as empresas que possuam funcionários, independentemente do tamanho ou ramo de atividades.

O mapa deverá ser comunicado a toda a equipe de trabalho e também deverá ser exposto em local visível para os trabalhadores, bem como para os visitantes da empresa, de forma que eles entendam os riscos aos quais estão expostos em cada ambiente da instalação física da organização.

Empresas que não elaborarem o mapa de risco poderão ser multadas em valores que variam de R$300 a R$3.500. Por isso é importante que o mapa de risco esteja não só elaborado, mas também atualizado com todas as alterações na configuração das instalações da empresa.

Qual a importância do mapa de risco?

O mapa de risco é importante por diversas razões envolvendo a segurança das pessoas, mas como fatores primordiais para sua utilização, podemos citar:

 – Conhecimento dos riscos pelos presentes no local

O mapa pode servir de alerta para pessoas que possuem intolerância a alguns ambientes, produtos químicos e materiais biológicos.

Desse modo, o mapa de risco poderá fornecer a informação adequada a todos os presentes, de forma que cada um possa se orientar sobre onde é seguro ou não ir, ao longo de sua estadia nas dependências da empresa, no caso no supermercado

– Planejamento de ações de segurança

Uma vez que o mapa de riscos foi elaborado, aqueles que se atarefam de executar ações de segurança e planejar o comportamento de emergência poderão ter uma valiosa ferramenta para seu trabalho.

Já que o mapa de risco fornecerá exatamente as informações que a CIPA (comissão interna de prevenção de acidentes) precisará para direcionar suas ações de combate aos potenciais acidentes e incidentes no trabalho.

Como elaborar um mapa de risco?

O mapa de risco deverá ser iniciado por uma esquematização da planta da empresa. Caso a instalação esteja ocupando vários andares, é necessário que se faça um mapa para cada andar, sendo assim possível a visualização superior de toda a organização.

Para fazer o desenho, é importante observar a escala e as legendas, as quais deverão preferencialmente seguir as regras de formatação da ABNT.

Uma vez finalizado o desenho, a CIPA deverá se encarregar de preencher o mapa com os riscos de cada área. Nas empresas em que também existir o SESMT (serviço de engenharia, segurança e medicina do trabalho), este deverá auxiliar a CIPA na identificação e quantificação de cada risco.

Identificados e quantificados os riscos, é hora de preencher o mapa com as cores e representações de cada um deles. As cores deverão seguir o modelo indicado nos tópicos acima e as representações deverão ocorrer em círculos com três tamanhos distintos: pequeno, médio e grande, sendo cada um proporcional ao risco por ele representado.

Feito o mapa, ele deverá passar por uma validação com as áreas envolvidas e em seguida, deverá ser comunicado à toda a empresa e colocado em local visível para que todos possam ter acesso.

Elaborando mapa de risco para supermercado

Como exemplo, vamos tomar o caso de um supermercado. Inicialmente vamos dar uma olhada no mapa posto abaixo.

O mapa é um esquema simplificado de um estabelecimento qualquer, ele nos servirá como base para pensar na elaboração do mapa de riscos do supermercado.

Para iniciar o mapeamento, é necessário desenhar a planta da loja, isso envolve os corredores com gôndolas, caixas, hortifrute, açougue, áreas segmentadas, almoxarifado, estacionamento e todas as demais áreas que possam constituir um supermercado varejista.

Após feito o desenho, vamos começar a pensar nos riscos envolvidos: queda de produtos, escorregões na hora da limpeza, choque elétrico em freezers, lesões na coluna nos operadores de caixa ou estoquistas e etc.

Uma vez definidos os riscos, podemos classificá-los em nas categorias padrão: físico, químico, biológico, ergonômicos ou de acidentes. Após a classificação, as cores podem ser atribuídas e as medidas podem ser iniciadas.

Depois que os riscos foram quantificados como baixos, médios ou altos, basta desenhar os círculos nas cores e tamanhos adequados sobre cada área do mapa.

Feitas a formatação e legenda, o mapa estará pronto e poderá ser validado e publicado.

Auxílio profissional para a elaboração de mapa de risco

Seja a sua empresa um supermercado ou uma outra organização qualquer, o mapa de riscos é parte fundamental na prevenção de acidentes e doenças do trabalho, além de ser item obrigatório para as empresas brasileiras.

Você pode contar com a rapidez e experiência dos consultores da Consultoria Online Verde Ghaia para a elaboração, não só do mapa de risco, mas de todos os outros procedimentos obrigatórios por lei ou por certificações como as normas ISO.

Compartilhe nas redes sociais:

        

1 Comentário

Deixe o seu comentário!