VG Consultoria Online

Cinco características de homens que fizeram história no mundo dos negócios

Cinco características de homens que fizeram história no mundo dos negócios
5 (100%) 1 voto

Que tipo de comportamento foi adotado por homens como Richard Branson, Edson Bueno, Bill Gates, Henry Ford e  John D. Rockefeller para que suas suas trajetórias empresariais se tornassem verdadeiros sucessos? Confira alguns segredos no artigo abaixo

 

Eles estão por toda parte, nos jornais, nas revistas de negócios, nas lojas de carros de luxo. O empresário bem sucedido é a figura padrão da sociedade capitalista, todos querem imitá-los, vestir as suas roupas, dirigir seus carros, usar os mesmos relógios, imitar seus hábitos, parecer com eles de alguma forma.

Em quase toda roda de conversa em uma festinha surge o assunto: “o que você faria se ganhasse na loteria?” Daí pra frente as respostas vão das mais módicas às mais exóticas possíveis. O fato é que todo mundo, em algum momento da vida, já se pegou pensando no que faria caso fosse um milionário.

Ainda que você não alcance o seu bilhão, gostaríamos de informar cinco características que podem aproximá-lo de se tornar um empresário bem sucedido. Para isso nada melhor do que se inspirar em grandes homens de negócios que fizeram história. Confira!

1 – A Ousadia de Richard Branson

A primeira característica a ser listada vem do ousado e exótico empresário britânico Richard Branson. Com dificuldades de aprendizado, Branson abandonou a escola aos 16 anos e passou a se dedicar a ideias de negócios que lhe renderam belos fracassos no início, mas que em algumas décadas o tornaria, segunda a Forbes, a 245ª pessoa mais rica do mundo. Ele teve a fortuna avaliada em quase 5 bilhões de dólares.

Certa vez, ao ser perguntado sobre suas filosofias de investimento, Branson deu a seguinte resposta: “Se alguém te oferecer uma oportunidade incrível, mas você não tem certeza se consegue fazer, diga sim – e depois aprenda como fazer”.

Atos de ousadia como esses, levaram o homem que na adolescência criou um negócio de enviar discos de vinil pelos correios à fundação de uma cadeia de lojas varejistas, investimento em música, aviação e mais recentemente, na criação da empresa que promete ser a primeira companhia aérea a realizar viagens espaciais para fins turísticos. Se há uma palavra que resume Branson, tal palavra é Ousadia.

2 – A Determinação de Edson Bueno

A Determinação é uma característica comum à todos os homens de sucesso nos negócios, mas a um em especial, ela foi fator determinante no traçar de seu destino.

O nome do empresário é Edson Bueno. Nascido em Guaratã no interior paulista, Bueno veio de uma família pobre, vendeu frutas nas ruas e trabalhou como engraxate. Contou que foi um péssimo aluno até os 14 anos, quando sofreu uma queda e desmaiou, só voltou a si após passar pelos cuidados do único médico da cidade.

Bueno então decidiu naquele momento que cursaria medicina. Desde então passou a estudar com dedicação. Trabalhou em diferentes empregos e conseguiu se formar como médico aos 28 anos no Rio de Janeiro. Após formado e já trabalhando na área da saúde, fundou a Amil, que veio a se tornar a maior empresa de planos de saúde da América Latina. Bueno vendeu 90% da empresa em 2012 por US$4,9 bi, tornando-se um dos homens mais ricos do mundo e a 18ª pessoa mais rica do Brasil. Grande exemplo de determinação.

3 – O oportunismo de Bill Gates

 

Há quem diga que a oportunidade passa por todos, mas poucos estão de olhos abertos para percebê-la. Se há alguém no mundo que percebe as oportunidades, esse alguém é o mais famoso magnata da tecnologia, William Henry Gates, ou simplesmente, Bill Gates.

Bill Gates não nasceu em uma família pobre como os dois empresários anteriores, mas também não era veio de um berço de milionários. Seus pais o enviaram a Harvard para que ele estudasse matemática e filosofia, mas Gates passava muito tempo com seus amigos jogando poker e bebendo cerveja. Era uma pessoa fora do padrão.

A informática ainda era novidade na época, mas para Gates, as aulas que tomava em Harvard já estavam atrasadas. Enquanto todos estudavam o hardware daquelas máquinas que prometiam mudar os rumos da humanidade, Bill Gates e seus amigos acreditavam que elas não poderiam fazer nada sem um bom software rodando em seu interior. Então criaram um programa para o primeiro microcomputador lançado à época e Bill Gates decidiu abandonar a faculdade.

A grande oportunidade bateu à porta quando a IBM, maior fabricante de computadores do mundo decidiu entrar no mercado de PCs. Mas como quase ninguém ligava para o software, havia pouco código desenvolvido até então. Foi aí que Bill Gates conseguiu uma reunião com a diretoria da IBM e lhes vendeu licenças do software que viria a ser o MD-DOS.

O único detalhe é que Bill Gates não possuía sequer o código fonte do software. Ele então visitou uma pequena empresa que estava trabalhando em um novo sistema operacional. Comprou o sistema inteiro por US$50 mil, o que lhe deu um grandioso lucro, pois havia negociado com a IBM um contrato de 8 milhões de dólares. Bastaram algumas pequenas personalizações para que ficasse perfeito.

De lá pra cá, a Microsoft alçou voos cada vez mais altos e Bills Gates se tornou o homem mais rico do mundo. Detalhe para o fato de ele as vezes, sai do primeiro lugar da lista, porque corriqueiramente doa alguns bilhões de dólares para caridade, mas passam-se alguns meses e ele retoma o primeiro lugar, pois sua empresa é uma grande máquina de fazer dinheiro.

4 – A Visão de Longo Prazo de Henry Ford

Algumas pessoas desenvolvem um talento especial que as torna capazes de prever o futuro, umas dessas pessoas, sem dúvida é Henry Ford.

Ford há cerca de 100 anos pensou que o automóvel seria um objeto para pessoas comuns. Ele imaginava que no futuro, cada pessoa teria um carro e por isso foi ridicularizado na época. Certa vez escreveu: “Se no início eu tivesse perguntado às pessoas o que elas queriam, elas me responderiam que precisavam de cavalos mais velozes”.

Ford passou muito tempo racionalizando processos e tentando construir carros de maneira cada vez mais barata. A expectativa de Ford era que o automóvel fosse para as massas. A grande ideia veio em 1913, quando Ford inventou a linha de montagem, uma ideia simples e fantástica. Ao invés de manter os trabalhadores concentrados ao redor do carro que estava sendo construído, a linha ia puxando os chassis e cada trabalhador, parado em seu lugar colocava uma peça. Ford passou da produção de quatro carros por dia, para um carro a cada 98 minutos. Em poucas décadas, o automóvel pessoal seria uma das novas marcas do cidadão americano de classe média, sendo rapidamente absorvido pelo American Way of Life.

Na época de Ford, processos integrados e sistemas de produção internacionais ainda não existiam, mas ao padronizar seu produto, Ford lançou os princípios básicos da qualidade nos processos, algo que hoje é feito através de normas, como a ISO 9001, que trabalha pela uniformidade de qualidade dos processos desenvolvidos pela empresa. Sem saber, Henry Ford foi um dos pioneiros no estudo e desenvolvimento da qualidade.

5 – O Pioneirismo de John D. Rockefeller

Se houve alguém no mundo digno de ser chamado de pioneiro, essa pessoa foi John D. Rockefeller. O menino Rockefeller nasceu em uma casa pobre em Nova Iorque em 1839, seu pai era um charlatão e aplicava golpes nas pessoas, fato que o fazia fugir por longos meses, deixando sua família desamparada.

Rockefeller ainda criança, começou a trabalhar nas ruas para conseguir algum dinheiro para sua casa, logo aprendeu a negociar e a encontrar boas oportunidades.

Certa vez, já jovem, ao sair de um culto em uma igreja, ficou observado homens que trabalhavam na prospecção de um poço de petróleo, ficou espantado com a quantidade de óleo que saia da terra e passou a imaginar formas de transformar aquilo em um produto útil, pois na época, queimava-se petróleo bruto.

Após muita pesquisa, Rockefeller conheceu um químico que conseguia destilar o óleo, então viram que a querosene era um combustível estável, limpo com uma capacidade de extração quase infinita. Seria o substituto perfeito paro o óleo de baleia que iluminava as lamparinas na época, haja visto que não existia luz elétrica.

Rockefeller montou uma refinaria quase que artesanal e passou a extrair e enlatar querosene, fundando então a empresa Standard Oil. Em poucos anos, as latas de querosene proviam iluminação a quase todos os lares americanos. Rockefeller chegou a controlar 70% da produção de petróleo dos EUA, sendo o grande pioneiro daquilo que viria a se tornar a maior indústria já vista pela humanidade.

Anos mais tarde, o governo o acusou de práticas monopolistas e o obrigou a desmembrar suas empresas em várias subsidiárias, além do mais, a luz elétrica de Thomas Edison havia chegado e a demanda por querosene para iluminação não parava de cair. Seria o fim do império de Rockefeller.

Mas o pioneiro do petróleo já extraia para uso interno em suas fábricas, um líquido pouco conhecido na época, seria o que hoje chamamos de gasolina. Com o sucesso dos carros da Ford, em poucos anos o mundo estaria profundamente dependente do petróleo Rockefeller se tornou ainda mais rico que antes.

Hoje seus herdeiros ainda figuram nas listas de pessoas mais ricas do mundo. Suas empresas ainda hoje governam o mundo do petróleo através de marcas como Exxon e Texaco. Em valores atualizados, a fortuna de Rockefeller à data de sua morte seria de 663 bilhões de dólares, fazendo dele a pessoa mais rica da história. Um belo caso de pioneirismo.

Compartilhe

        

0 Comentários

Deixe o seu comentário!