VG Consultoria Online

A ISO 19011 e a excelência em auditorias

A ISO 19011 e a excelência em auditorias
5 (100%) 2 votos

Além das diretrizes para auditoria, a ISO 19011 também estabelece requisitos para a competência e a avaliação de um auditor e de uma equipe auditora

A ABNT NBR ISO 19011 fornece diretrizes para usuários em todos os níveis de organizações, seja pequena, média ou grande, que venha a realizar auditorias de primeira, segunda ou terceira parte para sistemas de gestão. Além das diretrizes para auditoria, a ISO 19011 também estabelece requisitos para a competência e a avaliação de um auditor e de uma equipe auditora.

De acordo com a própria norma, a ABNT NBR ISO 19011 foi elaborada no Comitê de Qualidade (ABNT/CB-25) pela Comissão de Estudo de Tecnologia de Suporte (CE-25:000.03). Sua primeira edição foi publicada em 2002. Em 2006 foi desenvolvida a ISO/IEC 17021 (ABNT NBR ISO 17021), que estabelece requisitos para sistemas de gestão de certificação de terceira parte e que se baseou parcialmente nas diretrizes contidas na primeira edição desta Norma. Em 2011 foi publicada uma nova versão da ISO/IEC 17021, dando contexto para a segunda edição de 2012, podendo ser utilizada para qualquer sistema de gestão nas organizações, considerando que suas diretrizes passam a ser genéricas.

A ABNT NBR ISO 19011 é bem flexível quanto as diretrizes de auditoria, podendo variar de acordo com cada tipo de organização, quanto ao seu tamanho e complexidade de processos. Considerando as novas versões da ISO 9001 e ISO 14001, atualizadas no ano de 2015, é importante frisar que a ISO 19011 já introduz o conceito de risco para as auditorias de sistemas de gestão.

 A norma inclui os Princípios de auditoria, que nos ajudam a entender a natureza essencial de uma auditoria, o Gerenciamento de um programa de auditoria, que fornecem orientação para gestão de um programa de auditoria, considerando responsabilidade, objetivos, coordenação de atividades e disponibilização de recursos, além das Atividades de auditorias, que englobam as orientações sobre a realização de auditorias, inclusive a seleção da equipe auditora, e a Competência e avaliação de auditores com orientação sobre a competência necessária a um auditor.

O intuito da auditoria interna é auxiliar qualquer organização a alcançar seus objetivos através de uma abordagem sistêmica para melhoria dos processos de gerenciamento de riscos e busca de oportunidades para adicionar valor, melhorar as operações e resultados da empresa. A Verde Ghaia é uma empresa de consultoria que possui treinamentos técnicos para formação de auditores internos e realiza auditorias internas.

O auditor interno deve atentar-se para todas as atividades da empresa que estejam dentro do escopo. Para conseguir o cumprimento deste objetivo geral, há necessidade de desempenhar atividades tais como:

  • Revisar e avaliar a eficácia, suficiência e aplicação dos controles operacionais;
  • Determinar a extensão do cumprimento das normas e procedimentos vigentes;
  • Determinar a extensão dos controles sobre a existência dos ativos da empresa;
  • Determinar o grau de confiança, das informações e dados da empresa;
  • Avaliar a qualidade alcançada na execução de tarefas determinadas para o cumprimento das respectivas responsabilidades;
  • Avaliar os riscos estratégicos e de negócio da organização;
  • Garantir / consolidar a implementação do sistema através da contínua retroalimentação de informações;
  • Fornecer elementos ao gerenciamento da empresa, para auxiliar o processo de análise crítica pela administração;
  • Dar confiança ao cliente (externo ou interno), garantindo qualidade, controle ambiental, de segurança e/ou saúde ocupacional;
  • Verificar se as “regras” estabelecidas estão sendo aplicadas e se são pertinentes;
  • Contribuir para a melhoria do sistema de gestão;

Em relação à gestão do departamento responsável por realizar auditorias internas, um ponto a ser observado é a autonomia e independência. Nesse sentido, o nível ao qual o departamento se reporta pode indicar o grau de independência e autonomia dos auditores internos.

Para que esta autonomia e independência possam ser consideradas adequadas, torna-se necessário que a auditoria interna se reporte a Alta Direção, de modo a poder realmente escapar das ingerências e pressões, bem como manter a liberdade de agir sobre todas as áreas da organização, sem restrições.

A auditoria é caracterizada pela confiança em alguns princípios. Eles fazem da auditoria uma ferramenta eficaz e confiável em apoio a políticas de gestão e controles, fornecendo informações sobre as quais uma organização pode agir para melhorar seu desempenho. A aderência a estes princípios é um pré-requisito para se fornecer conclusões de auditoria relevantes e suficientes, e para permitir que auditores que trabalhem independentemente entre si cheguem a conclusões semelhantes em circunstâncias semelhantes.

Abaixo, alguns benefícios a serem alcançados através das práticas de auditoria interna:

  • Proporcionar maior confiança ao gerenciamento;
  • Promover maior confiança aos clientes e uma boa imagem junto às partes interessadas;
  • Facilitar a comunicação entre as várias partes da empresa;
  • Identificar problemas operacionais e prevenir acidentes;
  • Identificar oportunidade de melhorias;
  • Realimentar o sistema através de ações corretivas e preventivas;
  • Analisar e avaliar sistematicamente os sistemas de controles internos das organizações, visando maior transparência e confiança nas operações realizadas pelas empresas.

 

::Raissa Osaki Q. Urzedo

Eng. de Alimentos, Eng. de Segurança do Trabalho, Consultora e Auditora do Grupo VERDE GHAIA e da Consultoria Online Verde Ghaia

Para saber mais sobre a interpretação das normas NBR ISO 9001:2015, NBR ISO 14001:2015 e o que está acontecendo com a revisão da OHSAS 18001 e a nova NBR ISO 45001, envie e-mail para: rurzedo@verdeghaia.com.br

Compartilhe

        

0 Comentários

Deixe o seu comentário!